Rua Maria Monteiro, 1212 – Campinas, SP

+55 (19) 3705-2070
igrejansdores@igrejansdores.org.br

Notícias › 25/02/2019

Papa: Pastoral familiar, campo fecundo de colaboração entre ortodoxos e católicos

A colaboração existente há mais de 15 anos com o Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos – com ​​projetos culturais e educacionais com a participação de jovens estudantes – e a fecunda colaboração entre ortodoxos e católicos no âmbito da pastoral familiar, foram os aspectos destacados pelo Papa ao receber em audiência na manhã dessa segunda-feira na Sala dos Papas, uma delegação da Apostolikì Diakonia, guiada pelo bispo Agathanghelos.

“Peço-lhes logo um favor – disse Francisco no início de seu pronunciamento – transmitam, no seu regresso a Atenas, as minhas cordiais e fraternas saudações à Sua Beatitude Ieronymos II, que há poucos dias celebrou, no dia 16 de fevereiro, o décimo primeiro aniversário da sua entronização”.

O Santo Padre também pediu, “por intercessão do apóstolo Paulo – que pregou o Evangelho na Grécia e realizou o seu testemunho até o martírio aqui em Roma – para cumular de graças o amado povo grego”.

Jovens ensinam o desejo de caminhar juntos

A colaboração existente há mais de 15 anos entre a Apostolikì Diakonia e o Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, teve como frutos, entre outros, “louváveis ​​projetos culturais e educacionais”. Este – enfatizou o Pontífice – “é um bom exemplo de como é frutífero que católicos e ortodoxos trabalhem juntos”.

Nestas iniciativas, especialmente “jovens estudantes de nossas Igrejas, experimentaram como o que temos em comum é muito mais do que o que nos mantém distantes. Realizar juntos, ajuda a redescobrir-nos irmãos”, sublinhou Francisco, que acrescentou:

“Os jovens nos ensinam a não permanecer prisioneiros das diferenças, mas a despertar o desejo de caminhar juntos, sonhando a superação das dificuldades que impedem a plena comunhão. Cabe a nós continuar a caminhar juntos, a fazer juntos, a redescobrir-nos irmãos. Passo a passo, nas coisas que fazemos, poderemos vislumbrar, com a ajuda de Deus, sua presença de amor que nos une em uma comunhão cada vez mais forte”.

Neste sentido, o Papa pede a graça de que se caminhe desta forma, “não cada um em seu próprio caminho, perseguindo as próprias metas, como se o outro fosse apenas alguém que a história colocou ao meu lado, mas como irmãos que a Providência fez encontrar e que seguem juntos em direção ao único Senhor, carregando os pesos um do outro, regozijando-se um pelos passos do outro”.

Cuidado pastoral da família

A pastoral familiar – disse então o Pontífice – é um “ulterior campo fecundo de colaboração entre ortodoxos e católicos, um campo que requer ser cultivado com paixão e urgência”. E observa:

“Neste tempo, caracterizado por mudanças muito rápidas na sociedade, que se refletem em uma crescente fragilidade interior, as famílias cristãs, embora pertencendo a diferentes áreas geográficas e culturais, são provadas por muitos desafios semelhantes. E nós somos chamados a estar próximos deles, a ajudar as famílias a redescobrirem o dom do matrimônio e a beleza de proteger o amor, que se renova a cada dia na paciente e sincera partilha e na força suave da oração”.

Mesmo que a vida em família não aconteça de acordo com a plenitude do ideal do Evangelho e não aconteça em paz e alegria, diz o Papa, somos chamados a estar próximos a ela:

“Juntos, portanto, no respeito das respectivas tradições espirituais, podemos colaborar ativamente para promover, em vários contextos nacionais e internacionais, atividades e propostas que dizem respeito às famílias e aos valores familiares”.

Ao agradecer novamente a visita, o Papa pediu aos presentes para que reservassem um lugar para ele em suas orações.

Via Vatican News

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.